Empoderamento do Paciente: Você está preparado para isso?

Há cerca de duas semanas fomos convidados para participar de um debate realizado pela Abbott, empresa global de cuidados com a saúde, para refletir sobre a manutenção e conquista da saúde. Com o Brasil caminhando para o envelhecimento, há muito o que se aprender sobre a postura dos brasileiros em relação à doenças crônicas e como eles cuidam de sua própria saúde.

Com a pesquisa “Empoderamento do Paciente – importância e desafios”, conduzida pela Nielsen, os convidados discutiram resultados e também debater como o médico pode contribuir para empoderar o paciente, principalmente dos pacientes diagnosticados com diabetes e hipertensão.


HÁBITOS SAUDÁVEIS

Com o objetivo de descobrir que elementos influenciam o paciente no cuidado com a sua saúde e compreender quais estratégias os médicos precisam adotar para engajar seus pacientes, o estudo revela que o diagnóstico é um momento transformador, já que 55% das pessoas mudaram seus hábitos e adotaram uma vida mais saudável após o diagnóstico da doença.


Todos os médicos, durante o debate, ressaltaram que um dos principais pontos para dar autonomia ao paciente é atuar como educador. O paciente precisa “tomar as rédeas” de seu tratamento em diversos momentos, e é nesse momento que o médico assume o papel de educá-lo, para que assim ele tome as melhores decisões e atitudes para a manutenção de sua saúde, conscientizando o paciente e o fazendo adotar uma autorresponsabilidade e postura positiva em relação ao tratamento.

BUSCA POR INFORMAÇÃO

Cada vez mais a população está mais digital e, aliado a essa autorresponsabilidade que progride, a busca por informação acabou se tornando a peça chave para o empoderamento das pessoas com diabetes ou hipertensão: 40% acessam sites de buscas e 28% procuram em sites específicos informações sobre a doença, prevenção, tratamentos, medicamentos e até mesmo bula.

Com a intenção de potencializar o impacto online e dar voz aos pacientes, a Abbot tem seu próprio canal no YouTube, que ajuda a reforçar a importância de pacientes trocarem experiências, compartilhando suas histórias através de blogs e outros canais.


Ainda muito pode ser feito para facilitar a adesão dos brasileiros aos tratamentos e facilitar o acesso à informação, mas já podemos concluir que as pessoas andam bastante comprometidas com a própria saúde, cenário positivo para que a população não apenas viva mais, mas também melhor.

Uma startup que oferece soluções para melhorar a experiência do tratamento médico dos pacientes é a CucoHealth, fundada em 2015 e que além de app e plataforma digital, agora está desenvolvendo um assistente 24Hrs utilizando tecnologia de Inteligência Artificial do Watson da IBM. As enfermeiras digitais da CucoHealth estarão preparadas para responder milhares de perguntas de saúde a qualquer hora do dia.

Para saber mais sobre as tecnologias na saúde, leia nosso texto sobre Internet das Coisas.


Também publicado no Medium. Siga-nos!

mm

Layla Vallias

Fundadora da Helga, empresa de estratégia digital e desenvolvimento de produto para PMEs e cofundadora do Hype60+. Mercadóloga de formação com especialização em Marketing Digital pela Universidade de Nova York, e Diretora de Marketing do Aging2.0 Chapter São Paulo. Já empreendeu no setor de logística internacional durante cinco anos e depois resolveu começar tudo de novo para entender de gente. Trabalhou com pesquisa de mercado no Grupo Abril e, na Endeavor Brasil, ajudou a criar uma comunidade peer-to-peer com mais de 350 empreendedores. A vontade de criar uma solução para a longevidade já era antiga e, quando conheceu pessoas que compartilhavam do mesmo propósito, não pensou duas vezes. Tem o sonho grande de ver o Brasil um país mais inclusivo e mais justo para os maduros e a missão de fazer isso se tornar realidade. No Hype60+ atua nas áreas de Produto & Estratégia Digital.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.