Guia UX60+: Como criar produtos digitais para os maduros

Guia UX60+: Descubra como criar produtos digitais para os consumidores maduros

Olhe ao seu redor! A cada esquina há alguém com mais de 60 anos interagindo com um aparelho digital. Seja tirando fotos pelo smartphone, contando os passos no smartwatch ou assistindo a vídeos no Youtube, os maduros estão cada vez mais conectados. Mas será que as experiências digitais dos mais velhos são fluidas e intuitivas ou repletas de frustração por tentativa e erro?

Você já se perguntou como a sua empresa pode facilitar a navegação da população sênior por uma sociedade profundamente digital? Para orientar as empresas a criar produtos digitais inclusivos para os maduros, criamos o Guia UX para 60+!

 

Já são mais de 30 milhões de brasileiros acima de 60 anos no Brasil, um público consumidor ativo que tem dificuldades de encontrar produtos e serviços com usabilidade adequada a seu momento de vida. A cada ano, essa população cresce 3% no mundo inteiro — um passo mais rápido do que qualquer outra faixa etária — tornando ainda mais urgente o desenvolvimento de produtos inclusivos. Porém há um contraste com esses dados: apenas 30% das empresas estão planejando ações focadas no público 60+, segundo levantamento feito pela Economist Intelligence Unit.

Nós conversamos com diversos executivos e detectamos a preocupação de alguns deles em oferecer produtos e estratégias de marketing adequados para essas pessoas. Pensando nisso, fizemos um estudo aprofundado e compilamos os principais insights e estudos de caso”,  relata a cofundadora do Hype60+, Bete Marin. O Guia UX para 60+ faz parte de uma série de novidades desenvolvidas pela consultoria de marketing para assessorar as empresas a desenvolverem produtos adequados e se relacionarem com o público sênior.

A publicação traz dicas práticas para criar design para esse público, pois leva em conta as diferenças de formação do cérebro, construção do pensamento e modelo mental, moldados e sedimentados ao longo da vida, refletindo em comportamentos de uso completamente distintos entre os seniores e os Millennials.

Com o Guia é possível entender as relações dos seniores com a tecnologia, compreender as diferenças físicas no consumo de produtos universais, quais os fatores que os inibem de usar as novas tecnologias, valores do design, estudo de caso com a Microsoft, as bases para o design 60+ e uma análise profunda sobre a lacuna entre o que o mercado oferece e o que os maduros procuram.

Mais do que um exercício de empatia, o Guia é um compilado de boas práticas para quem trabalha com criação de produtos e serviços com alto potencial de impacto. Quando você faz algo que funciona para o público 60+, também funcionará para todas as outras gerações. Design para seniores é design para todos”, esclarece Karen Bizanha, especialista em experiência do usuário e cofundadora do Hype60+.

Alguns produtos inclusivos já estão disponíveis no mercado. Um deles é o ownfone, considerado o celular mais simples do mundo. O aparelho, desenvolvido no Reino Unido, armazena 12 contatos e conta com uma bateria capaz de durar um ano sem recarga. Outro exemplo é o tablet para seniores, o Grandpad, que traz uma tela maior e usabilidade que prioriza contraste, com grandes letras e botões.

Apesar dos exemplos citados, o número de produtos e serviços voltados para os sêniores é reduzido. Segundo a pesquisa Tsunami Prateado, o levantamento realizado pelo Hype60+ e o Pipe.Social, as marcas falham em não conhecer ou até mesmo ignorar o esse consumidor. A cada 10 consumidores acima de 55 anos, quatro reclamam da falta de produtos e serviços voltados para eles. As categorias mais demandadas são: vestuário, calçados e acessórios (56%); alimentos para necessidades específicas (40%); serviços de turismo (36%); cursos no geral (31%); soluções para adaptação da casa (28%); produtos de beleza e higiene pessoal (27%); e cursos de línguas e intercâmbio (22%). Dizem que a atual oferta de produtos e serviços não atende a sua expectativa de consumo, já que são obrigados a consumir artigos que não foram desenvolvidos considerando as suas necessidades, e sim focados numa população mais jovem.

Um dos erros mais frequentes das marcas é a aposta em clichês: cores neutras; linguagem pastel, imagens pouco representativas e sem vida na comunicação. O Guia UX 60+ sugere um checklist para construir plataformas amigáveis para os 60+ que vai desde orientações práticas sobre o visual da página com uso de cores, ícones, texto e estrutura de UX, passando pela navegação, interações com usuário e itens que propõem maior facilidade de uso e simplicidade para uma interface moderna até dispositivos prazerosos de usar.

 


Também publicado no Medium. Siga-nos!

mm

Layla Vallias

Fundadora da Helga, empresa de estratégia digital e desenvolvimento de produto para PMEs e cofundadora do Hype60+. Mercadóloga de formação com especialização em Marketing Digital pela Universidade de Nova York, e Diretora de Marketing do Aging2.0 Chapter São Paulo. Já empreendeu no setor de logística internacional durante cinco anos e depois resolveu começar tudo de novo para entender de gente. Trabalhou com pesquisa de mercado no Grupo Abril e, na Endeavor Brasil, ajudou a criar uma comunidade peer-to-peer com mais de 350 empreendedores. A vontade de criar uma solução para a longevidade já era antiga e, quando conheceu pessoas que compartilhavam do mesmo propósito, não pensou duas vezes. Tem o sonho grande de ver o Brasil um país mais inclusivo e mais justo para os maduros e a missão de fazer isso se tornar realidade. No Hype60+ atua nas áreas de Produto & Estratégia Digital.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.