O desafio de dialogar com o público sênior

A população brasileira vem envelhecendo rapidamente, já representa parcela maior do mercado consumidor, mas as empresas não apresentam respostas esperadas pelo segmento na mesma velocidade . Hoje, 57% das pessoas com mais de 50 anos não se sentem representadas pelas marcas e dizem que faltam produtos e serviços adequados para elas. É o que mostra estudo realizado pela Hype60+, consultoria de marketing especializada no público sênior, em parceria com a MindMiners, plataforma de pesquisa digital. Feito em janeiro, o levantamento ouviu 863 pessoas de 50 a 85 anos, em todas as regiões do país.

“Há muitas oportunidades de negócios porque o público sênior é o que mais cresce no Brasil. Em geral, são pessoas que continuam ativas e exercendo influência na sociedade”, diz Bete Marin, co-fundadora da Hype60+. De acordo com a pesquisa, as principais demandas de quem tem mais de 50 são por cursos em geral, roupas, alimentos que atendem a necessidades específicas, intercâmbio para aprender idiomas, soluções para adaptação e acessibilidade nas casas e itens de beleza .

O estudo revela ainda que 28% dos entrevistados são aposentados, mas, apesar disso, continuam trabalhando, ajudando familiares ou se dedicando a hobbies. Outros 22% são funcionários de empresas; 19% declararam ser autônomos e 14%, desempregados. Além disso, 8% atuam como empreendedores e apenas 7% são do lar. Do total 80% são responsáveis pela escolha ou compra de produtos, o que indica alto grau de independência…

Acesse a matéria completa publicada no Valor Econômico, dia 26 de abril de 2018.

 


Também publicado no Medium. Siga-nos!

mm

Bete Marin

Co-fundadora das empresas Hype60+, Amo Minha Idade, ED Comunicação e ED Promoção e Eventos e sócia da Virada da Maturidade São Paulo. 20 anos de experiência em planejamento estratégico, comunicação integrada, eventos e festivais. Formada marketing, pós-graduada em comunicação pela ESPM e MBA pela FGV São Paulo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.